Mais de 30 coletivos com iniciativas para aprimorar a qualidade de vida em Florianópolis vão se encontrar na UFSC no sábado, 24 de setembro, para divulgar seu trabalho aos cidadãos e aos candidatos à Câmara de Vereadores e à Prefeitura. O objetivo da mostra “Floripa, cidade utópica” é reunir e promover os grupos sociais que se organizaram para propor alternativas às formas de se locomover, produzir, conviver, alimentar, aprender, comprar, descartar, usar o espaço urbano, informar e organizar.

Os candidatos às eleições municipais foram convidados a visitar a mostra, para que conheçam as ideias de melhoria para a cidade que partem da própria população. Os coletivos ou organizações sistematizarão em cartas públicas suas reivindicações para a Prefeitura e a Câmara de Vereadores.

A mostra “Floripa, cidade utópica” estará aberta ao público no Centro de Eventos, das 14h às 18h, e terá também apresentações culturais ao ar livre, na Praça da Cidadania. Haverá shows com o grupo Felixfônica e os músicos Jean Mafra e Luís Canela. O grupo “Teatro Comunitário do Canto da Lagoa” apresentará a peça “E se eu fosse um camarão”, que trata de especulação imobiliária. A professora Lígia Lüchmann lançará seu novo livro, “Associativismo e democracia – um estudo em Florianópolis” (Editora da UFSC).

O encontro é uma iniciativa do Laboratório de Sociologia do Trabalho (Lastro), do Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política, com apoio da Reitoria da UFSC, da Secretaria de Cultura e da Direção do Centro de Filosofia e Ciências Humanas. O Barato de Floripa é parceiro de divulgação.

 

 

Programação do evento

Hall

14h30 às 15h15 Teatro comunitário do Canto: peça “E se eu fosse um camarão”
15h00 às 17h00 Lançamento do livro de Lígia Lüchmann, “Associativismo e democracia. Um estudo em Florianópolis” (EdUFSC)
14h00 às 18h00 Oficinas de origami
14h00 às 18h00 Exposição de Nacasa – Coletivo Artístico
14h00 às 18h00 Exposição de Outras Meninas
14h00 às 18h00 Exposição fotográfica de Rafael Venuto
14h00 às 18h00 Mostra dos coletivos (ver lista de participantes)

Sala Goiabeira

15h às 16h Roda de conversa com o Grupo Erro
16h às 17h Palestra e roda de conversa sobre saneamento com o Mosal – Saneamento Descentralizado

Sala Laranjeira

15h30 às 16h Projeção do curta “Minha vida no cemitério”, da Associação Cultural Baiacu de Alguém (17min)
16h às 17h30 Roda de conversa sobre o Projeto Parque Cultural das Três Pontas, com o Movimento Ponta do Coral
17h30 às 18h Projeção do curta “Minha vida no cemitério”, da Associação Cultural Baiacu de Alguém (17min)

Sala Pitangueira

15h às 16h Roda de conversa: Espaço auto organizado de Mulheres, Negras, Negros e LGBTS

Varanda

15:00 Show com Felipe Nunes
16:00 Show com Felixfônica
17:00 Show com Jean Mafra e Luís Canela

 

Os coletivos confirmados até o momento

PRODUÇÃO:

Revolução dos baldinhos
Brotei – Permacultura
Plante pra mim
Trampos das minas
Desdobrando arte e Shopping ADEH
Tattoo like a girl
Compras coletivas ecossolidárias

 

EDUCAÇÃO E SAÚDE:

Casa Vermelha
Tarrafa Hacker Space

ORGANIZAÇÃO SOCIAL:

Coletivo Jornalismo sem Machismo
Nacasa – coletivo artístico
ADEH
Coletivo Catarina de Advocacia Popular
Coletivo Pira
Coletivo Negro 4P
Coletivo Urbanas

 

MOBILIDADE:

Orbis Ciclo Entregas
Caminhada Jane Jacobs Floripa
Bicicleta na Escola
Sinalização Cidadã

ESPAÇO URBANO E MEIO AMBIENTE:

Mosal – Saneamento descentralizado
Floripa + Acessível
Ocupa OBarco
Instituto Ilha do Campeche
NeAmb
Movimento Ponta do Coral
Greenpeace

 

COMUNICAÇÃO:

Maruim
Catarinas
Desacato
Ganesha Digital
Eu também sou filho da terra

 

 

1 Comentário

  1. Nabor de Souza Filho

    Quando a gente tá fora de Florianópolis, numa cidade conservadora, e vê a chamada e a programação de um evento desses, vc. descobre q. a tua cidade natal é mesmo diferente. Muito mais arejada nas ideias. . .
    Parabéns aos organizadores pelo evento.

    Responder

Escreva e participe

Fique tranquilo, seus dados nunca serão divulgados