Na próxima semana, dia 10 de agosto (quinta-feira), o Projeto Cinema Mundo/UFSC dará inicio a sua mostra de filmes do Cinema Brasileiro Contemporâneo apresentando o célebre “Aquarius”, de Kleber Mendonça Filho.

A sessão, de entrada franca, acontece às 18h30 no Auditório Elke Hering da Biblioteca Universitária da UFSC e conta com os comentários de Gabrielle Bittelbrun e Gabriel Groppi.

Sinopse:

Clara é uma escritora aposentada. Ela é moradora de um apartamento repleto de livros e discos no Bairro de Boa Viagem, num edifício chamado Aquarius. Interessada em construir um novo prédio no espaço, os responsáveis por uma construtora conseguiram adquirir quase todos os apartamentos do prédio, menos o dela. Por mais que tenha deixado bem claro que não pretende vendê-lo, Clara sofre todo tipo de assédio e ameaça para que mude de ideia.

Sobre os comentaristas:

Gabrielle Bittelbrun é Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Literatura da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), realizou estágio no Doutoramento em Modernidades Comparadas da Universidade do Minho entre setembro e dezembro de 2016. Mestra em Jornalismo também pela UFSC, Jornalista pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp). Integra o Grupo de Pesquisa Núcleo de Literatura Brasileira Atual – Literatual – Estudos Feministas e Pós-Coloniais de Narrativas da Contemporaneidade da UFSC. Desde 2007, com o apoio dos órgãos financiadores Fapesp e Capes, já desenvolveu pesquisas relacionadas a questões de gênero em filmes ambientados nos séculos 19 e 20; gênero e comunicação e, mais recentemente, investiga sobre raça e gênero em revistas femininas brasileiras contemporâneas.

Gabriel Groppi nasceu em Montevidéu, em 16 de outubro de 1968, onde residiu até 1976, quando viveu alguns anos no Brasil. De volta para Montevidéu, em 1980, concluiu sua escolaridade básica e média e ingressou na Escuela Nacional de belas Artes, onde concluiu o Ciclo Básico do currículo e trabalhou como professor assistente, ligado ao Laboratório de Audiovisual. Trabalhou por um período de dois anos numa pequena estação de TV, a Red Televisión Color, desempenhando várias funções e adquirindo uma visão já mais ampla e profissional da produção em vídeo. 

Ao ingressar no curso de Cinema da USP(1994), cursa diversos semestres e matérias, com especial ênfase na cinematografia. interrompe os estudos no CTR e fica exclusivamente trabalhando no setor audiovisual paulista (1994 a 2003), principalmente como editor, com incursões variadas em equipes de fotografia e uma breve passagem pelo cargo de colorista, na extinta RBS-Vídeo. Nesse período, trabalhou com Aloysio Raulino, como assistente de fotografia e Michael Ruman, como assistente de montagem em alguns longas, curtas e trailers, “Castelo Ra-tim-bum” entre eles.

De 2003 a 2009, morando em Garopaba-SC, volta pontualmente em duas ou três ocasiões à realização audiovisual, chamado pelo amigo diretor e ex-colega da ECA Eduardo Kishimoto. De 2009 até o presente, tem trabalhado como fotógrafo freelancer com especialização em fotografia aquática e, atualmente (há um ano) presta serviço na UFSC, como técnico no Labcine, do curso de cinema.

qui10ago18:30Projeto Cinema Mundo exibe "Aquarius", de Kléber Mendonça FilhoO FadoValor: Grátis

Escreva e participe

Fique tranquilo, seus dados nunca serão divulgados